Torre das Artes

Milão - Itália / 2006-2007
Arquitetura, Privados

show more

O local se encontra na faixa habitada consolidada, caracterizada por lotes regulares com edifícios de diversas alturas e por um variado desenho de fachadas, no entanto alinhados e que respeitam o princípio do fato de serem de frente para a rua. O bairro é desprovido de importantes elementos arquitetônicos e paisagísticos, aliás a área resulta hoje particularmente degradada também, devido a um traçado de ruas interessado na alta densidade tráfico de veículos.
O programa geral diz respeito à definição de uma nova referência urbana que, nos pilares da preexistente sede da Montedison e com a mesma superfície desta, abrigue residências e negócios, localizados na base do edifício, dentro de um contexto que possa representar uma ocasião de oportunidade e visibilidade ao redor. As diretrizes sobre a densidade volumétrica em desenvolvimento vertical e sobre a possibilidade de liberar espaço no solo, são solicitações feitas pelo contratante. Esta última, entre as propostas dos diversos estudos consultados, privilegiou a solução que melhor caracteriza o edifício como uma expressão de dialética entre contemporaneidade e tradição, entre a tradição e a modernidade, contrastando o desejo de viver em Milão com a sua necessidade.
O projeto se desenvolve a partir da imagem da torre como tipologia capaz de destacar uma das características de identificação da cidade, elaborando uma uma interpolação, ou melhor, um pesquisado “morphing” entre a variada seção da Torre Velasca e as fendas verticais do arranha-céu Pirelli. Por conseguinte, a solução proposta é representada pela imagem escultural de um corpo vertical, dividido e composto por quatro unidades volumétricas, caracterizadas pela presença de grandes sulcos intermédios, que acentuam a estreita silhueta que vai além de um bloco inferior que recupera a linha do horizonte da frente adjacente.
O complexo programaticamente orgânico na linguagem arquitetônica, quebra o aspecto monolítico da cortina do prédio precedente, identificando um marco para todo o bairro, um novo perímetro dos espaços no solo, e um diferente uso da estrada, que se adentra no interior do lote através de uma pequena praça. O projeto conta com a colaboração de artistas, arquitetos, fotógrafos e designers contemporâneos, envolvidos na caracterização dos espaços. A distribuição funcional se estrutura em 4 andares subterrâneos de estacionamento (300 vagas para automóveis); andar térreo com funções mistas (comerciais, espaços, percursos públicos, acessos); spa e piscina (4°e 5°), 22 andares de apartamentos, restaurante no 23° e terraços na cobertura, dos quais, dois revelam a tradição dos jardins suspensos em Milão.
Os espaços internos-externos dos apartamentos constituem um sistema continuo de varandas, que ao filtrarem a luz nas grandes aberturas de vidro, formalizam a tecnologia da “dupla pele”, como critério de eficiência aplicada a blindagem das fachadas. Estas últimas, possuem alternados revestimentos em pedra com fendas em cerâmica esmaltada dourada.

ProgramaEdifício residencial e comercial
LugarMilão - Itália
Projeto2006-2007
ClienteBabcock & Brown
Custo€ 50.000.000
SistemaStudio Ti
CompaniaElse costruzioni S.p.A. - Pessina Costruzioni, S.p.A.
EstruturaFavero&Milan ingegneria S.r.l.
Superfície construída19.190 mq
Volume60.000 mc