The Cord

Veneza - Itália / 2003
Arquitetura, Instalações

show more

“The Cord”, é o nome da instalação-ingresso, projetada para o 50º festival de belas artes da Bienal de Veneza. No meio do caminho entre escultura e arquitetura, o objetivo da obra, segundo a solicitação, é indicar o acesso principal aos “Giardini di Castello” e abrigar as estruturas de serviço necessárias para o evento: as bilheterias, guarda-volumes, e segurança. A idéia do projeto representa o tema da “porta” de entrada da exposição como uma “passagem”, sendo uma estrutura de ligação entre as diferentes seções e locais aonde se distribuem os diversos setores da mostra. A solução inédita encontrada é uma tentativa de criar um ícone e assim tornar visível a relação entre os diversos aspectos da exposição, representada por um grande contenitor de informações, que são transmitidas através da construção de uma fiação simbólica, aonde o cabo, ou seja “The Cord” assume dimensões percorríveis. Esta enorme rede virtual consolida a idéia da arte como comunicação e da comunicação como arte, um espaço oco capaz de transportar informações, e assim os visitantes, e os seus “Sonhos e conflitos” – o título do festival dirigido por Francesco Bonami – em vários lugares onde a Bienal descreve os próprios conteúdos.
Materialmente, a obra em suas totalidade consiste em um tubo de aço longo cerca 200 metros de comprimento, cortado em fragmentos de 1,25 metros, montados com comprimentos variáveis entre 7,5 e 15 metros, expostos em vários locais da mostra, com o objetivo de levar o conteúdo da Bienal para muitas cidades italianas, incluindo Génova, Palermo, Itália, Lucca, Verona, Assis, Bari e Nápoles. Cada elemento cilíndrico modular tem um raio exterior de 3 metros e internos de 2,75 metros e é realizado pela fusão de duas folhas de aço corten de 4 mm de espessura, calandrado e ao longo do extradorso e do intradorso. A fixação é obtida por meio de duas nervuras circulares, formadas por perfis retangulares (120 × 84 mm), nas extremidades do elemento. O acabamento externo explora a oxidação natural do aço corten, enquanto a superfície interior é totalmente pintada com uma camada de esmalte branco fluorescente fotossensível que absorve a luz solar durante o dia, para regressar em forma de luminância branca-esverdeada quando anoitece. Esta superfície interna contêm títulos, nomes, conteúdos sintéticos da exposição que são impressos dinamicamente o que faz com que o design gráfico se mova, obviamente as escritas são imóveis e o movimento é criado pelas pessoas que atravessam o espaço que as abriga.

ProgramaEntrada da 50° Bienal de Veneza de Artes Visuais
LugarVeneza - Itália
Projeto2003
ClienteBienal de Veneza
Custo€ 600.000,00
CompaniaFima Cosma Silos S.r.l.
EstruturaFavero&Milan Ingegneria
Superfície do terreno250 mq
Volume1.200 mc